ATROFIA MAXILAR E IMPLANTES ZIGOMÁTICOS

O QUE É E COMO SE TRATA ATUALMENTE A ATROFIA MAXILAR SEVERA?

0 h
para colocar dentes fixos

Existem situações em que o osso que forma o maxilar superior “encolhe-se”, diminuindo, por vezes, até desaparecer por completo. Este fenómeno é conhecido como “bocas sem osso” ou “bocas com pouco osso”. O resultado é um maxilar superior composto por seios maxilares muito pneumatizados que contêm muito ar e estão separados da boca por um tabique de osso de pouquíssimos milímetros. Informalmente, fala-se dos maxilares com “pouco osso” ou “sem osso” como aptos para implantes dentais convencionais. Atualmente, usamos o osso do pómulo ou osso zigomático para ancorar implantes e colocar dentes fixos em 24 horas.

O QUE SÃO OS IMPLANTES ZIGOMÁTICOS?

Um implante zigomático é um implante maior do que o habitual que, a partir do osso residual do maxilar é ancorado no osso zigomático, malar ou osso das maças do rosto. O osso zigomático tem a característica de não se atrofiar, como o osso maxilar, no caso de perda dos dentes naturais.

O implante zigomático é utilizado para fixar dentes fixos em maxilares atróficos, evitando a necessidade e as complicações do uso de enxertos de osso no seio maxilar, nariz ou crista alveolar. Deste modo, os implantes zigomáticos constituem a melhor opção para reabilitar os dentes perdidos nas pessoas que não podem colocar implantes regulares pelo fato das suas bocas terem pouco osso maxilar.

Zygomatic Implant

QUAIS SÃO AS CAUSAS DA ATROFIA MAXILAR?

A atrofia maxilar geralmente aparece após as extrações dentais, seja por motivo de infeção dental por caries, fraturas ou infeções periodentais à volta do dente como a periodontite ou a “piorreia”. O encolhimento ósseo do maxilar ocorre também após a perda de implantes dentais ou devido ao fracasso de enxertos ósseos. É comum que a atrofia maxilar se manifeste com maior gravidade nos setores posteriores da boca quando os enxertos de seio não funcionam. A falta de osso maxilar poder ser causada por fatores hormonais, pelo que é frequente que se manifeste em mulheres de meia idade. Por fim, a falta de osso maxilar pode aparecer em consequência do tratamento ressectivo de neoplasias que afetam o maciço craniofacial.

VANTAGENS DOS IMPLANTES ZIGOMÁTICOS EM RELAÇÃO AOS ENXERTOS DE OSSO

0 %
de sucesso depois de um ano

A primeira vantagem é a de evitar complicações do enxerto ósseo e a minimização dos riscos da intervenção. Seguindo a filosofia ZAGA para a colocação de implantes zigomáticos, não é necessária uma zona doadora de osso (por exemplo, a anca). Logicamente, se não utilizarmos enxerto de osso, não estaremos dependentes de que este prenda ou seja bem-sucedido, nem teremos que esperar meses sem dentes ou com uma dentadura removível para que isso ocorra.
A percentagem de sucesso de um procedimento com enxertos de osso é de aproximadamente 80%. Dito de outra forma, os enxertos de osso falham em 20% dos casos. A percentagem de sucesso anual de um tratamento com implantes zigomáticos é de 97%. Em outras palavras, falham apena em 3% dos casos.
O tratamento da falta de osso ou atrofia maxilar com enxertos de osso requer aproximadamente 12 meses de duração até à colocação dos dentes. Em contrapartida, o tratamento da falta de osso ou atrofia maxilar com implantes zigomáticos seguindo a filosofia ZAGA, necessita de menos de 24 horas para colocar uma prótese fixa no seu maxilar.